Por Ana Guerra | 29/10/2019
Tags:

FUNDAÇÃO BIENAL DO MERCOSUL ANUNCIA EQUIPE CURATORIAL

Apontada pela Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul para assumir a curadoria-geral da Bienal 12, a escritora, professora e pesquisadora argentina Andrea Giunta definiu os curadores-adjuntos responsáveis pela próxima edição da mostra de arte contemporânea. A polonesa Dorota Biczel e os brasileiros Fabiana Lopes e Igor Simões se unem à Andrea na equipe curatorial do evento, que será realizado em Porto Alegre de 16 de abril a 5 de julho de 2020.

Os curadores já definiram o título da Bienal 12, que será Feminino(s). Visualidades, Ações e Afetos. A mostra terá como centro as propostas de artistas mulheres e de todas as sensibilidades não binarias, fluidas e não normativas, sobretudo daquelas que se expressam em oposição às mais diversas formas de violência, e que compartilham o desejo de uma ordem social menos opressiva e discriminatória em termos de gênero. A curadoria pretende destacar a relevância da criatividade para friccionar limites e condicionamentos, enriquecer-se com a criação daqueles que trabalham com materiais e técnicas tradicionalmente atribuídos às artes do feminino e compartilhar o exercício coletivo de inventar novas formas de fazer, dizer, pensar e criar na vida democrática.

A equipe curatorial tem se reunido em visitas técnicas na capital gaúcha, em espaços como o Museu de Arte do Rio Grande do Sul, o Memorial do Rio Grande do Sul, a Praça da Alfândega, o Centro Histórico-Cultural Santa Casa e a Fundação Iberê Camargo, que vão abrigar o evento em 2020. Os curadores também têm realizado atividades paralelas e preparatórias para a Bienal 12. Entre elas, está o Território Kehinde, uma ação do projeto educativo da Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul formada por debates e rodas de conversa que propõem a construção coletiva de saberes. As atividades se iniciaram em outubro deste ano e seguem até novembro, com encontros gratuitos nas cidades de Porto Alegre, Caxias do Sul e Pelotas. Confira a programação completa em www.fundacaobienal.art.br.

A Bienal 12 tem patrocínio do Santander, copatrocínio do Banrisul, apoio de Unimed e Unicred, apoio institucional de Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul, Memorial do RS, MARGS, UERGS, CHC Santa Casa, Fundação Iberê Camargo e Theatro São Pedro, realização do programa educativo pela Fecomércio / SESC RS e realização da Lei Federal de Incentivo à Cultura e da Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul.

Curadora-geral e equipe curatorial

Andrea Giunta é escritora, curadora e professora da Universidade de Buenos Aires, onde obteve seu doutorado. Ela é pesquisadora principal do CONICET, Argentina, e pesquisadora visitante da Universidade do Texas em Austin. É autora de vários livros sobre arte latino-americana, incluindo Avant-garde, Internationalism and Politics: Argentine Art in the Sixties (Durham: Duke University Press, 2007). Em 2018, ela publicou Feminismo y arte latinoamericano: Historias de artistas que emanciparon el cuerpo (Buenos Aires: Siglo XXI, 2018, a ser publicado pela University of California Press). Foi cocuradora de Radical Women: Latin American Art, 1960–1985 (2017–2018, Hammer Museum, em Los Angeles, Brooklyn Museum, em Nova York, e Pinacoteca de São Paulo).

Dorota Biczel (Polônia/EUA) é PhD pela Universidade do Texas em Austin e atualmente atua como professor assistente visitante em História da Arte na Universidade de Houston. Seus projetos de pesquisa, redação e curadoria concentram-se na arte latino-americana contemporânea vista no contexto global, particularmente nas interseções de experimentação material, prática social e política. Publicou artigos e ensaios em revistas acadêmicas como Caiana, Buildings & Landscapes, Art Journal, ARARA e alter / nativas e em catálogos de exposições. Foi curadora de Moving Mountains: Extractive Landscapes of Peru, no Centro de Artes Visuais da Universidade do Texas (2016), e cocuradora de cronologia de Teresa Burga’s Chronology: Reports, Diagrams, Intervals (2011, Württembergischer Kunstverein Stuttgart), entre outros projetos.

Fabiana Lopes é curadora independente radicada em Nova York e São Paulo e doutoranda em Estudos de Performance pela New York University, onde é uma Corrigan Doctoral Fellow. Sua pesquisa está centrada na produção contemporânea de artistas da diáspora africana no Brasil e nas Américas. Seus textos foram publicados na Harper’s Bazaar Art, O Menelick 2o Ato, ARTE!Brasileiros, Contemporary And (C&) e em catálogos de exposições, entre os quais Rosana Paulino: Costura da Memória, Pinacoteca, São Paulo (2018), Lucia Laguna: Vizinhança, MASP, São Paulo (2018), Of Darkness and of Light, Minnette Vári, Johanesburgo (2016), e Territórios: Artistas Afrodescendentes no Acervo da Pinacoteca, Pinacoteca, São Paulo (2015).

Igor Simões é doutor em Artes Visuais-História, Teoria e crítica da Arte-PPGAV-UFRGS. Professor adjunto de História, Teoria e Crítica da arte e Metodologia e Prática do ensino da arte (UERGS). Membro do comitê de curadoria da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas-ANPAP, Membro do Núcleo Educativo UERGS-MARGS. Membro do comitê de acervo do Museu de Arte do RS-MARGS. Trabalha com as articulações entre exposição, montagem fílmica, histórias da arte e racialização na arte brasileira e visibilidade de sujeitos negros nas artes visuais. Autor da tese Montagem Fílmica e Exposição: Vozes Negras no Cubo Branco da Arte Brasileira. Membro do Flume-Grupo de Pesquisa em Educação e Artes Visuais.

SERVIÇO
Bienal 12
De 16 de abril a 5 de julho de 2020
Porto Alegre – Rio Grande do Sul – Brasil

Patrocínio: Santander
Copatrocínio: Banrisul
Apoio: Unimed e Unicred
Apoio institucional: Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul, Memorial do RS, MARGS, UERGS, CHC Santa Casa, Fundação Iberê Camargo e Theatro São Pedro
Realização do programa educativo: Fecomércio / SESC RS
Realização: Lei Federal de Incentivo à Cultura e Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul

Foto: Andrea Giunta. crédito: Rob Verf